Conteúdo

Home

História Geral

História do Brasil

Atualidades

Cultura

Biografias

Curiosidades

 

Cronologia

Brasil

Mundo

 

Calendário

Datas Comemorativas

 

Links

Enem

Fuvest

Prouni

Mec

Une

 

 

 

 

 

 

 

História do Brasil

A Implantação da Economia Açucareira

No primeiro século da conquista, Portugal preocupou-se em defender a posse das terras brasileiras contra a ameaça de invasão de outros povos (franceses, holandeses).

Até a metade do século XVI, o governo português e a burguesia mercantil estavam mais interessados nos lucros que obtinham com o comércio dos produtos orientais. Porém, com a crise do comércio com o Oriente, Portugal voltou sua atenção para a sua colônia na América.

A solução encontrada foi implantar a empresa açucareira no Brasil. nessa época, o açúcar era um artigo de luxo muito procurado na Europa. Sua venda alcançava altos preços no mercado.

A economia açucareira implantada no Brasil desenvolveu-se sob o "Antigo Sistema" colonial, portanto, sujeita às regras ditadas pela Metrópole. Sistema, que tinha suas bases no mercantilismo.

Durante os séculos XVI e XVII, a nossa economia baseou-se na produção da cana-de-açúcar. O açúcar tornou-se o nosso principal produto de exportação, situação que se manteve até a segunda metade do século XVII, quando começou a sofrer a concorrência das Antilhas.

De origem asiática, a cana foi levada para o continente europeu pelos árabes.

Portugal, já conhecia as técnicas de produção do açúcar, ao colonizar as ilhas do Atlântico (Cabo Verde e Madeira), dando início à plantação da cana e a fabricação do açúcar.

Portugal viu na implantação da empresa açucareira no Brasil, uma forma de organizar uma atividade econômica permanente e iniciar o povoamento sistemático da colônia.

A cana foi introduzida pela primeira vez no Brasil, na Capitania de São Vicente, por Martim Afonso de Sousa, em 1532.

Na ilha de São Vicente, no litoral paulista, ele construiu o primeiro engenho de açúcar - o engenho dos Erasmos.

Em 1540 havia engenhos nas capitanias hereditárias de São Vicente e de Pernambuco. Em 1560, já havia 62 engenhos na colônia. O nordeste tornou-se a principal região produtora de cana-de-açúcar.

O sucesso da empresa açucareira no Brasil, se deveu as condições favoráveis para a adaptação da cana, como: o clima tropical e o solo de massapé.

Portugal via também na implantação da empresa açucareira a possibilidade de ampliação do mercado consumidor, particularmente devido à colaboração dos holandeses, que já estavam envolvidos na sua distribuição, e o alto preço do produto poderia atrair mais investimentos.

Os holandeses participaram desde o primeiro momento, com o financiamento da empresa açucareira. Controlavam o transporte, o refino e a distribuição do açúcar no mercado europeu.

Criou-se no Brasil, uma economia exclusivamente voltada para o mercado externo. Uma economia fundamentada nos sistemas da grande propriedade, da monocultura e do trabalho escravo.

A grande propriedade foi criada devido à extensão dos territórios coloniais e ao fato da cultura da cana-de-açúcar só ser rentável numa produção em larga escala.

A monocultura era essencial, para a implantação de um tipo de economia que tivesse alta rentabilidade para a Metrópole. A opção pela cana praticamente impôs a monocultura, isto é, o Brasil precisava tornar-se uma empresa altamente especializada na produção do açúcar. Portanto, a diversidade econômica não interessava à Metrópole, porque geraria uma rentabilidade menor.

23/06/05

 

 

 

 

 
 
 

 

 

 

 

©HistóriaMais 2005/2014    Política de Privacidade     historiamais@historiamais.com